NotíciasPapa Francisco

Papa pede cristãos coerentes que não causem escândalo ante o povo de Deus

– Durante a Missa celebrada na Casa Santa Marta, no Vaticano, o Papa Francisco advertiu contra o escândalo que causa feridas muito difíceis de curar no povo de Deus e podem matar a esperança.

Por isso, pediu aos cristãos que sejam coerentes, porque com sua incoerência podem causar escândalos graves. “Muitos cristãos com o seu exemplo distanciam as pessoas, com a sua incoerência, com a própria incoerência: a incoerência dos cristãos é uma das armas mais fáceis que o diabo tem para enfraquecer o povo de Deus e distanciar o povo de Deus do Senhor. Dizer uma coisa e fazer outra”.

“Esta é a incoerência que faz escândalo”, continuou o Santo Padre. “Portanto, devemos nos perguntar: como é a minha coerência de vida? Coerência com o Evangelho? Sou coerente com o Senhor?”.

Citou como exemplo de incoerência os empreendedores cristãos que não pagam os salários justos e se servem das pessoas para se enriquecer e também o escândalo dos pastores na Igreja que não cuidam das ovelhas e se afastam.

Francisco explicou que “é inevitável que aconteçam escândalos, retomando as palavras de Jesus no Evangelho do dia, ‘mas ai daquele que produz escândalos!’. Prestem atenção em vocês mesmos para não causar escândalos. O escândalo é feio porque o escândalo fere, fere a vulnerabilidade do povo de Deus, fere a fragilidade do povo de Deus e muitas vezes essas feridas são carregadas por toda a vida. Não somente fere, o escândalo é capaz de matar: matar esperanças, matar ilusões, matar famílias, matar muitos corações”.

Além disso, recordou que “Jesus nos diz que não se pode servir a dois senhores, a Deus e ao dinheiro, e quando o pastor é alguém apegado ao dinheiro, escandaliza. E as pessoas se escandalizam: o pastor apegado ao dinheiro. O pastor que procura subir, a vaidade o leva a escalar, em vez de ser gentil, humilde, porque a gentileza e a humildade favorecem a proximidade com as pessoas. Ou o pastor que se sente senhor e comanda todos, orgulhoso, e não o pastor servidor do povo de Deus. Todo pastor deve se perguntar: como é minha relação com o dinheiro?”.

O Pontífice concluiu a sua homilia convidando a fazer um exame consciência: “Eu escandalizo ou não, e como? E assim poderemos responder ao Senhor e nos aproximarmos um pouco mais dele”.

Evangelho comentado por Papa Francisco:

Lc 17,1-6

Naquele tempo, 1Jesus disse a seus discípulos: “É inevitável que aconteçam escândalos. Mas ai daquele que produz escândalos! 2Seria melhor para ele que lhe amarrassem uma pedra de moinho no pescoço e o jogassem no mar, do que escandalizar um desses pequeninos.

3Prestai atenção: se o teu irmão pecar, repreende-o. Se ele se converter, perdoa-lhe. 4Se ele pecar contra ti sete vezes num só dia, e sete vezes vier a ti, dizendo: ‘Estou arrependido’, tu deves perdoá-lo”.

5Os apóstolos disseram ao Senhor: “Aumenta a nossa fé!” 6O Senhor respondeu: “Se vós tivésseis fé, mesmo pequena como um grão de mostarda, poderíeis dizer a esta amoreira: ‘Arranca-te daqui e planta-te no mar’, e ela vos obedeceria”.

Fonte: acidigital.com

Tags

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *